Cute Pink Kaoani

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Sou minha própria cura.


Para não se ver como alguém depressivo, você precisa não se olhar tanto. Precisa não dar tanta atenção ao que não á merece e prestar muita atenção ao que é unicamente criado para você, as coisas do mundo que te encantam os olhos, as riquezas que detém na sua casa; Sua família. Não seja doente mesmo estando doente. Tem uma enorme diferença entre quem esta doente e se sente doente e quem adoece e não quer ser doente. Em geral as pessoas que não se taxam como doentes podem ter um câncer terminal e não aparentá-lo. Isso é pauta de estudo de pesquisadores. O estado físico depende muito do seu psicológico. Escrevo isso também me convencendo já que estive em uma onda terrível de infinidades de viroses e outras “doenças” que confundem o dia-dia. Em estando doente no meu caso, eu me sentia doente, eu de certa forma apesar de tentar ficar de pé. Imaginava mil diagnósticos, pensava quase vinte e quatro horas do dia nos meus sintomas e se não me encostava-se à cama, entregava-me constantemente ao mal estar e ficava realmente mal. Sofro ou não; Sei lá! De síndrome do pânico á anos tive uma violenta crise que me levou a ficar um bom tempo á tomar medicação e a ter medo do medo. É! Essa tal síndrome é isso. Você tem medo até de ter medo novamente. Situações e coisas que achei terem me levado a ter aquela crise eram e de certa forma são até hoje motivo de muito medo. Tenho medo dessa tal síndrome, tenho pavor de ser de novo doente. Ser doente como já disse é diferente de estar doente. Ser doente é terrível. Você se põe a ter certa pena e lamento de si mesmo. A maior característica que eu identifiquei em mim mesma para decretar que algo estava muito errado em como eu me sentia era o exacerbado crédito que eu dava a doença. Alguns sintomas como cansaço, tensão e dor de cabeça; Comuns a qualquer um em mim era motivo de grande especulação em torno da síndrome que poderia ter voltado. Como já disse repasso á vocês o que de fato ainda estou lutando para vivenciar em totalidade e verdade na minha vida. Estar doente sem ser doente. E agradeço isso a algumas palavras e até repreensões do meu marido. Ele me mostrou, mesmo cuidando com carinho de todas as minhas crises que uma dor de cabeça podia sim, ser só mais uma dor de cabeça. Que não é incomum em um dia mais atribulado ficar tenso ou mesmo ficar mais cansado. Em fundamental ele me mostrou que posso sim ficar doente como todo mundo, posso amanhecer mais pra baixo, posso pensar um pouco mais em algum problema e nem por isso vou estar doente. Mas se eu ficar doente posso e devo manter o equilíbrio entre o que realmente sou e o que sinto. Posso estar doente e não ter nenhum sinal de síndrome alguma; Aliás, ele me fez reposicionar-me diante do conceito que eu tinha sobre esse meu diagnóstico. Ele me fez entender que existem inúmeras e tantas outras intituladas síndromes e psicoses, mas eu não preciso ter nenhuma delas se eu não quiser. De fato é mais ou menos isso que o psicólogo faz; Não é? Ele combate o nosso mal psicológico com a nossa própria vontade. A vontade na verdade é que faz tudo. Essa é o maior lance. Se eu tivesse descoberto isso á mais tempo talvez não tivesse gastado tanto em terapias e medicações. Em todo caso não é bom espalhar. Se isso se difunde muitos terapeutas estariam certamente sem muita coisa a fazer. Na vida louca que vivemos; Aliás, no mundo confuso e cheio de problemas e poucas soluções em que estamos às crises psicológicas, as síndromes são como epidemia e devastam por onde passam as vidas de pessoas que por certo ainda não descobrirão que o único mundo e a única aprovação de que precisam é seu próprio mundo escondido dentro de si mesmo e a sua aprovação. Sua vontade de ser. Não precisamos ser comuns e iguais á todo mundo, não precisamos passar nota fiscal comprovando quem realmente somos para ninguém. Precisamos fazer sim um acordo, se preciso reconhecido em cartório que somos seres capazes e felizes; E nada no mundo pode decretar que não sou quem eu verdadeiramente quero ser. Ninguém e nada pode decretar que não posso ser sadio, se eu quero de todo coração o ser. Nenhuma síndrome ou doença faz parte do ser perfeito que Deus criou, nenhuma doença pode ser maior ou mais forte para abater essa máquina maravilhosa da criação que a deixe cabisbaixa ou sem vontade de viver. Eu resolvi ser livre. Eu resolvi ser eu mesma, Eu resolvi ser sadia. E nenhum diagnóstico vai me levar mais a ter medo de viver. Se eu tiver de adoecer, vou convalescer vivendo, vou apostar que amanhã vou amanhecer melhor. Se vier tonturas e pavores vou ter certeza que posso eu mesma dizer ao meu corpo que nada irá acontecer além do que eu quero para aquele momento. Aliás; O que quero para todos os momentos da minha vida; Ser inteiramente feliz. E quem achou que uma virose, uma síndrome, uma gripe ou sei lá; Uma urucubaca qualquer poderia me deixar fora de combate se enganou. Ser guerreiro não é desviasse dos tiros e quedas nas batalhas é mesmo baleado e caído ao solo, seguir mesmo que se arrastando, mas nunca entregar-se e se ainda sim eu não for capaz de sair do lugar ter a certeza que meu Deus não me abandonará ali; Ele me carregará no colo. Essa sou eu! Curada de mim mesma. Graças á Deus.

Lia Joca



Um comentário:

  1. sabe, sinto muito orgulho de ter você como minha vida esposa. Sinto- me realizado e emocionado por ter conseguido te mostrar que não precisas de mais nada para sua saúde, apenas nosso amor. Esse cara sou eu!!

    ResponderExcluir

Olá! Deixe aqui seu comentário e seja sempre muito bem vindo á postar aqui suas sugestões para postagens e opinião sobre o que pode ser interessante de ser encontrado aqui.

Abraço

Lia Joca