Cute Pink Kaoani

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Ás vezes é preciso perder pra se ganhar.




Acredite ou não meu ano começa hoje. É hoje mesmo. Exatamente agora ás 23h25min h de um domingo que poderia ter sido igual á todos os outros. Vazio e sem sentido. É eu sei pra quase todo mundo é assim mesmo. Bom, mas poderia e até começou assim, um pouco pior até, por que eu fui presenteada logo nesse dia por uma virose ou sei lá o que. Essa coisa terrível que todo mundo anda tendo. Mas enfim o dia passava-se como costumeiramente, cheio de tédio e pedindo para chegar o outro dia, até que por um minuto ou será algumas horas? Não sei ao certo. Parecia ser tarde daquele dia em que você chegou até meus braços. É filho, Como pode eu tão crescida ter só hoje resolvido aprender a lição que á tanto tempo você tentava me ensinar. Hoje aquela mãozinha suadinha, fria e comumente suja passou tanto. Tanto amor. Onde foi mesmo filho? Onde foi o caminho ou atalho que peguei que acabei me afastando dessa tua mãozinha. Porque passei tanto tempo buscando felicidade se no dia em que você nasceu eu me dizia tão feliz? Porque será que como você e a Jéssica disseram a mamãe virou brincadeira? Não filho, A mamãe sempre foi verdade, só tinha esquecido um pouco disso. Não meu amor, não me interessa outras coisas, o mundo inteiro e tudo que posso ainda ganhar ou dar-lhes. Porque tudo o que tenho de maior, mais caro, mais profundo é o amor que tenho por vocês. Esqueci por tempo desta minha verdade, mas ainda bem meu filhote. Ainda bem que você tava aqui pra me ensinar. Lembro sim da última festinha de escola, fique certo disso e sim adoro, sempre amei o sorriso de vocês, cada palavra errada, cada frase que escapole em meio as meus amigos e reuniões onde eu os queria perfeitos para o mundo, para o meu mundo paralelo a vidinha de vocês. Esqueci sim. Esqueci que sempre vi em vocês a perfeição. Esqueci que nunca vão precisar ser mais prefeitos para os outros do que já são pra mim. Mas eu nunca esqueci que os amava. Desculpa a mamãe de brincadeira, só das férias de julho e dos fins de ano desencontrados. Desculpa as reuniões e viagens mais importantes que aquela festinha da escola e passeio no parque. Eu não entendia o quanto valia, o quanto era mais caro o valor que pagaria hoje. Quis tanto ter tudo, dar-lhes tudo, que quase esqueci que o que mais queriam não me custava tanto. Quis tanto mostrar a mim e ao mundo inteiro que tinha força para cuidar de vocês sozinha que me esqueci de cuidar do nosso amor. Hoje vi que minha força sempre foi vocês, não precisava de mais nada, não precisava tantos planos, vocês já eram o meu caminho desde á hora em que chegaram a minha vida. Como pude chegar até aqui sem ter visto o quanto perdi. Perdi muito filho, mais do que ainda posso perder se de hoje não começar a ganhar o que realmente vale na vida. Perdi tanto que nunca vou conseguir calcular. Como a vovó diz sempre o que se perde e o que se ganha é uma forma da vida mostrar pra gente o que realmente tem valor na vida. E hoje sei o valor incalculável das horas que não quis perder ganhando vocês todos os dias, ganhando o que de vocês era valioso. É a vida é mesmo assim. Lembro agora da sua avó que me diz tantas coisas e eu que escuto tão pouco. É ela também sente falta da mamãe, só que do alto da sua autoridade profissional o que me diz é sempre o que não vai me tirar o ânimo e nem fazer de mim alguém que ela quer que eu seja esquecendo que eu quero e quis ser por esse tempo todo. Mas eu sei filho, agora eu sei que valia mais, vale mais, ainda dá tempo. Vale Filho! Vale muito escutá-la, vale ouvir vocês três sempre. Vale ser tudo o que posso ser por vocês, só não vale é ser nada e não viver a vida com vocês. Não vale mais esquecer-me de nós, não vale filho. Nunca valeu eu só não via isso! O quanto gosto meu filho de vê-lo sorrir, mas perdoa-me, não sabia que teu sorriso também era triste. Hoje me permiti ver por teus olhos, mais calmamente o que dizia, o que sentia. Nunca brincamos com tantos brinquedos que tem, nunca tive tempo de te ensinar a jogar aquele jogo, nunca mais tivemos tempo de sentar no chão, nunca mais filho me sujou a calça de catchup. E hoje isso me fez tanta falta. Nunca mais nos maquiamos para bater foto não é filha? Nunca mais falamos alto e demos gargalhadas das bagunças que fazíamos. É eu perdi muito. Quanto fui infantil. Pensava ter crescido por vocês. Mas não, vocês cresceram e eu não estava aqui para ver. Você minha Pituca, Olha só, Já me serve um chá. Já conversa ao telefone com amigas. Já vai ao cinema com as amigas. Mas qual foi mesmo filha, o último filme que vimos juntas, porque não comemos mais pipocas? Porque a mamãe só joga bola com vocês nas férias? Porque a minha primeira profissão e a mais bonita a que tive e tenho tanto orgulho foi deixada só para ser exercida em 20 ou 15 dias de férias corridas. Não vale nada hoje, o que me valeu tanto por tanto tempo, não me valeu nada perder tanto de vocês. Mas prometo mais á mim do que a vocês que nossa vida vai ser diferente, prometo que vai valer cada segundo e que mesmo que perca algo, não vou perder o meu mundo, a minha vida, o meu bem mais caro, a minha família. Não quero mais perder. Não vou perder mais nada do amor de vocês. Vocês vão mostrar o caminho para eu reencontrar a minha história, á nossa história e dessa vez quero a ajuda de vocês, quero vocês por perto me ajudando á escrevê-la. Hoje a minha vida começa á ter o valor que deve ter. Hoje é o começo de nossa nova história. E quero lembrar-me de hoje a cada vez que eu achar que ainda preciso dar-lhes mais. Como você disse hoje filho. “Eu já tenho tudo Mãe! Eu tenho você.” E eu te amo tanto meu bebê por ser teu tudo, mesmo tendo sido tão pouco por tanto tempo.
Vai valer á pena, Prometo.
Lia Joca
06/02/2011
00h39min h

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Deixe aqui seu comentário e seja sempre muito bem vindo á postar aqui suas sugestões para postagens e opinião sobre o que pode ser interessante de ser encontrado aqui.

Abraço

Lia Joca