Cute Pink Kaoani

domingo, 23 de janeiro de 2011

O Céu e o Inferno são vizinhos...




As melhores coisas acontecem exatamente quando as piores fases estão á atormentar nossa vida. Lembre-se do melhor momento que já passou na sua vida e respectivamente vai lembrar-se de algo terrível em sua opinião acontecendo lado á lado.
No cotidiano é comum a gente viver em uma eterna balança, de certa forma isso é bom, aprendemos á aproveitar mais o que á de bom, enquanto a realidade e as coisas insatisfatórias não batem á porta. Ruim mesmo é ainda está aprendendo a lidar com isso. Nem tudo é bom! Fato! Mas ruim mesmo é não se conformar com o que é impossível ser mudado. Dizem não existir impossível. Deus é o Deus do impossível. Acredito nisso de verdade! Mas o que dizer do que pode ser mudado, o que é impossível pra mim e que com o poder do meu pensamento positivo e todas as nossas crenças podem mudar, diante de uma realidade que melhor mesmo era que não tivesse que ser mudada?
É claro que o conformismo é o um dos piores males da sociedade atual, Isso vai da educação familiar, até as decisões políticas. Vivemos em uma sociedade conformada, um povo cheio de deixa como está, se não piorar está ótimo.
Eu particularmente sempre fui meio revolucionária não me conformo fácil, não paro de lutar pelo que quero na primeira queda, no primeiro suor salgado á escorrer no rosto á nos dizer que á luta vai ser árdua. E essa é a minha escolha para que eu não esteja sempre mudando do Céu para o Inferno. A muitos colocar as trouxas na cabeça toda hora parece esporte. Acreditasse que só morremos uma vez na vida. Acreditasse que a vida termina quando os nossos corpos falecem. A verdade é que morremos e acabamos a vida muitas vezes em uma vida só. Moremos quando aceitamos periodicamente em nossa vida nossos infernos pessoais. Acabamos nossa vida quando nós conformamos, entregamos a balança do cotidiano. Ninguém é inteiramente feliz! Fato! Porém ninguém pode ser inteiramente infeliz em uma vida só ou então não há vida. A uma grande diferença, ao menos na minha vida, entre chatear-se com as situações do meu cotidiano e entregar-se á chateação. Quem se entrega não se recompõe, quem se chateia procura soluções possíveis e as impossíveis também para mudar o que para o mundo e até para nos mesmos parece impossível ser mudado. Ai está à diferença ente viver na balança do cotidiano e viver pendendo sempre para o lado do Céu, Não dá pra ter uma residência fixa lá. Definitivamente não! Mas dá para não ser despejado á toda hora.
Ai você me pergunta: Porque então resolveu escrever estas linhas? E eu respondo: Pendi bastante ontem entre o Céu e um Inferno pessoal que me atormenta á alguns dias. Mas creia. Em nenhum momento cogitei ter alguma estada lá, mesmo que fossem por algumas horas. Chego a lembrar do meu dia ontem e de uma música bem popular: “Uma cerveja pra lavar” Pode parecer engraçado diante de linhas tão sérias, falar de tal obra da falta de cultura. Mas é que a esse refrão ontem vinha e voltava em meu pensamento. “Uma cerveja pra lavar.” E isso não ta ligado ao banal fato de eu estar realmente á tomar uma cerveja e a meditar sobre essa passagem no “inferno.” Mas ao momento solitário e de paz que tive diante de uma solidão improvisada em meio a uma multidão e a paz que só eu mesmo depois de tomar aquela cerveja pude sentir em meio á tanta bagunça e barulho. De verdade senti aquela bebida á me lavar. Lavar toda a tristeza, toda a angústia e colocar para fora do meu espírito cansado, mas não derrotado. O choro que minha alma insistia em guardar á exatos nove dias. É! Eu contei. Contei porque é uma das minhas formas de não pender para o inferno. Entre outras coisas, outra forma válida para lavar á alma, não pender as derrotas e tristezas do cotidiano é o desabafo, o choro da alma. Os atrevidos dizem! Melhor mesmo é não engolir sapo! É falar! Gritar! Não agüentar desaforo! Mas nem sempre o falar é possível, você em horas sente a língua presa, a garganta entalada. Acredite o que trava nesse momento é o espírito, o corpo que pouco nos importamos. O que realmente deve viver. Digo muito aos que me conhecem pessoalmente que não morro enquanto os olhos da minha alma não quiserem fechar. Não morro só com uma bala, se tiver de morrer muitas vezes nessa vida escolherei o dia, porque em quanto minha alma puder respirar eu vou lutar pelo meu Céu aqui nessa vida que nos balança.
Entre textos e rascunhos guardados de minhas gavetas, vocês aqui compartilham comigo pedaços de minha história, quedas e levantar esforçados do meu espírito. Não busco aqui perfeição, ou ofereço á vocês promessas de textos e citações memoráveis, esplendidos e inteligentes. Busco aqui talvez o mesmo que muitos de vocês que me vêem em linhas do meu cotidiano. Esta é mais uma forma de lavar minha alma, reforçar o meu espírito, compartilhar com muitos as minhas passagens e mudanças da balança cotidiana. Fico grata e feliz quando em muitas vezes cruzo fora da virtualidade com gente que a muito me conhece, descreve e agradece pelo que leu. Mas ao mesmo me sinto na obrigação de ser muito mais grata pelos olhos atentos á estas linhas. O diário que só á mim ajudava, hoje ajudada, acalma a mim e a um monte de gente que posso chamar de amigos, já que talvez bem mais que os que convivem comigo, me conhecem a cada dia mais profundamente através desse rascunho da minha história. Fiquem certos que agradeço. E o milagre se dá agora. Acredite! O que faltava para esvaziar a minha alma e fazer-me adentrar de malas e cuias ao meu Céu novamente, você compartilhou comigo. Ainda que a vida me mostre milhões de motivos para que eu desista de mim mesma e de todas as coisas, pessoas que ainda quero ter em minha vida, momentos que ainda quero lembrar na posteridade por serem os mais desejados. Talvez por uma vida inteira. Ainda que seja mais fácil conformar-me e me abandonar aos meus infernos cotidianos e não esforçar-me para levantar meu espírito. Eu ficarei de pé até o último combate, até que eu tenha em minhas mãos exatamente o que quero ou ao menos o que mereço. Ai sim mesmo ainda vivendo nessa balança a minha busca pelo meu Céu findará.
Lia Joca
23/01/2011
“Nesta manhã eu me convenci disso diante ao meu espelho, refleti minha alma e me vi em verdade, Nessa hora tive a certeza que posso bem mais do que levei a vida inteira imaginando. “

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Deixe aqui seu comentário e seja sempre muito bem vindo á postar aqui suas sugestões para postagens e opinião sobre o que pode ser interessante de ser encontrado aqui.

Abraço

Lia Joca