Cute Pink Kaoani

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Coisas do João...




Todo mundo diz que menino chamado João é sempre levado e letrado. O meu caçula, João Vitor não é diferente.
Resolvi escrever sobre ele, pouco que corujando. Mas é que as tiradas do figura são mesmo interessantes. Hoje veio com uma quando o pai dele chegou pra visitá-lo que segurei pra não rir.
Meu irmão do meio sempre fala que o meu ex sempre chega com um caminhão carregado de dor de cabeça. Pois bem, Como toda criança tem um jeito todo diferente de interpretar o que os adultos falam. O João logo que viu o pai chegar disse: Paieee!!! Deixa eu dar uma volta no seu caminhão! Hehehe... E eu fiquei sem saber como explicar da onde veio a estória de caminhão.
Deixar a gente sem palavras é coisa do João desde muito cedo, Hoje com sete anos quase é o carinha mais conhecido da escola por uma tirada que falou aos três que foi parar até no site do colégio.
A coordenadora do colégio afastou-se por uns tempos para fazer tratamentos de um câncer e na sua ausência ficou responsável pela escola sua auxiliar. Como o garoto é até hoje figurinha fácil em todo o colégio é também na coordenação. Daí um dia chega à notícia que não haveria aula no dia seguinte porque a coordenadora havia falecido. Passamos um bom tempo aqui em casa com o assunto em pauta, lamentando o ocorrido. Dois dias depois o João chega á escola e vê a auxiliar que naquele momento estava no posto da falecida e fica olhando fixamente para ela enquanto conversa com uma das supervisoras. Ela sem jeito pergunta á colega se há algo de errado com ela porque o João não tira o olho dela. E quando ele interrompe a conversa e diz: Ô Tia, De que foi que tu morreu mesmo enhi? Hehe
Foi risada o dia inteiro na escola. Até no refeitório dos professores que estavam ainda consternados com a morte da coordenadora, virou piada.
Eu fico á pensar se futuramente vou ter um humorista em casa, Trabalho á anos com cultura e humor e acho que isso refletiu na criação desse menino, Só pode!
Outro dia eu estava há editar meus textos e ele chegou da escola e veio me abraçar. Mas como toda criança na verdade não é só o abraço que eles querem. E quase uma cobrança de atenção. Geralmente isso fica sempre mais intenso no dia em que estamos mais cansados e atarefados. Daí virei dei o abraço tão requisitado, perguntei como foi na escola e brinquei um pouco com ele. Como á maioria dos pequenos não sabem á hora de parar, ele ficou no meu pé e eu editando e me atrapalhando toda, ai disse: Para João Vitor á mamãe ta morta de cansada, precisa terminar aqui! Ele começou a chorar do nada e eu sem saber o que tava acontecendo. Botei-o no colo e perguntei. Daí ele falou assim: Mãe é que tu ta morta de cansada e vai ter que ir morar no cemitério e eu não vou poder te ver é? Nesse dia eu não sabia se ria ou se chorava com a conversa do rapazinho. Deu tanto dó que acabei deixando o trabalho de lado e fui servir á minha mais importante profissão, Ser mãe das minhas duas figurinhas.
Meu pai é bem coruja com esse neto espevitado dele. Tanto, que vive contando suas peripécias, que ele quase sempre é um dos alvos fácies. Meu pai dirige como quase todo avô, meio atrapalhado e como o João não perdoa nada, outro dia disse para o Pai em meio ao transito: “Vovô quando eu crescer tu vem aqui atrás e eu dirijo, porque tu já ta muito ceguinho, vive chacoalhando o carro!”
As conversas dele com meu pai são impagáveis. Outro dia ele desse a escada correndo e soluçando de chorar e diz: Mãeee! Eu não quero crescer mais não o vovô disse que vou ficar igual á ele. Não quero ser careca não mãe! Hehehe
Essa figura tem TDAH (Déficit de Atenção com Hiperatividade). Fico imaginando leigamente se toda essa desenvoltura com as palavras tem haver com isso. Em verdade tenho certeza que também tem muito á ver com a forma que o tratamos desde muito pequeno. Deixando que participasse sempre das atividades da família e o ouvindo quando queria se expressar sobre algo. Hoje como toda criança com TDAH, faz tratamento e ainda enfrenta dificuldades no aprendizado na escola, mas suas dificuldades cognitivas são nada diante dessa cabeçinha abençoada em inteligência que Deus me deu.
Com muito amor. Enfrentamos tudo juntos. Somos parceiros e quando o olho feliz da vida, cheio de amigos, intimando com a irmã, se socializando e soltando frases como as que lhes falei aqui é que tenho certeza que para qualquer tipo de distúrbio ou doença. O melhor remédio é AMOR. E isso é fato na vida do meu João.
Lia Joca
21/08/2010

Um comentário:

Olá! Deixe aqui seu comentário e seja sempre muito bem vindo á postar aqui suas sugestões para postagens e opinião sobre o que pode ser interessante de ser encontrado aqui.

Abraço

Lia Joca